Noticias: Armindo Araujo reage ao seu despedimento da Mini

Confesso que não escrevi qualquer linha por aqui sobre Armindo Araujo e a sua atual situação com a Mini Team Portugal por causa de uma regra básica que se aprende no jornalismo, e também em termos de bom senso: ouvir o que o outro lado tem para dizer. Assim evita-se as bacoradas que li quer nas redes sociais, quer nos fórums de revistas como a Autosport – que já de si fazem corar o pior sistema de esgotos do mundo…
Por fim, essa reação chegou. Às 2:30 da manhã de quarta-feira, mas chegou. Assim sendo coloco aqui o comunicado oficial onde fala da sua versão dos acontecimentos. E pelo que leio por aqui, a ser verdade ou não, já é de si controverso.
Após a comunicação por parte da Motorsport Itália (MSI) sobre a dispensa da dupla portuguesa do WRC TEAM MINI PORTUGAL, Armindo Araújo entendeu só agora estarem reunidas todas ascondições para fazer o seguinte esclarecimento: 

I- Com os objetivos bem definidos para o projeto 2012, iniciamos a temporada com um interessante resultado no Rali de Monte Carlo, sendo que, apenas no Rali da Suécia arrancamos com a equipa WRC TEAM MINI PORTUGAL. A partir do Rali do México, a terceira prova do calendário começou a surgir, por parte da MSI, uma tentativa de camuflagem dos problemas mecânicos e a clara ideia que apenas os pilotos Armindo Araújo e Paulo Nobre eram responsáveis pelos fatos ocorridos durante as provas. A partir desta altura, a MSI, iniciou também uma tomada de posição sobre os meus comunicados de imprensa, referindo que eu falava mal da equipa e da marca. Todas as minhas comunicações foram aprovadas pela MINI PORTUGAL e em nenhuma delas existe tais referências. Sempre defendi a marca e a equipa que represento. 

II- Para preparar a fase de asfalto e a estreia com o MINI JCW WRC versão 01B, fui convidado no dia 17 de Julho para uma sessão de testes em Itália que se realizaria entre os dias 10 e 12 de agosto. No dia 8, fui informado do local por coordenadas de GPS. Durante os três dias que permaneci em Itália, lamentavelmente não fui autorizado a efetuar qualquer teste, mas sim pressionado a declarar-me doente e incapacitado para alinhar no Rali da Alemanha. (em anexo envio email da proposta da MSI para comunicar a suposta doença). Nesta altura fiquei incrédulo com tal proposta. 

III- No dia 15 de agosto a MSI pede-me autorização para utilizar a licença desportiva doWRC TEAM MINI PORTUGAL, propriedade da empresa Armindo Araújo Lda, com um outro piloto até ao final do ano. Facto que, por razões óbvias não aceitei, até porque, como se compreenderá, já previa o desfecho. No dia seguinte, 16 de agosto, a MSI informa-me que não correria mais pela equipa, ou qualquer outra do seu grupo, quer no Rali da Alemanha como nas restantes provas do calendário até final do ano, sem qualquer explicação ou justificação. 

IV- No dia 17 de agosto, informei a MSI; MINI Alemanha; MINI Portugal que reuni toda a documentação e informação existente sobre o caso, e entreguei à equipa de advogados liderada pelo Dr. José Pedro Gomes, que tomará todas as diligências legais necessárias para defender o meu bom nome e a defesa do projeto nacional que muito me honra. 

V- Sempre foi minha posição defender a verdade a justiça e a transparência. Todos os meus patrocinadores, já informados de todos estes acontecimentos, revêem-se na minha tomada de posição. Por tudo isso e pela ligação à minha imagem, entendemos retirar toda a publicidade no carro número 12 da equipa WRC TEAM MINI PORTUGAL. 

Para finalizar, comunico que, como era meu dever, informei a FIA de todos os fatos sucedidos, aguardando serenamente o desenrolar dos processos em curso, confiante e crente que a verdade desportiva, a imagem dos patrocinadores, o meu bom nome, e aimagem do País sejam repostas, o que é de inteira justiça.
Apesar de o meu instinto dizer que nada como uma boa noite de sono para depois opinar sobre o que aqui foi escrito, não quero deixar de dizer uma coisa: por muito mau que um piloto seja nas classificativas, por muito que ele seja acusado de “andar devagar”, de ser um frouxo, de não ser o “Jari-Matti Latvala das Caldas“, ninguém merece que lhe enganem, que o aldrabem. Tinha recebido alguns alertas nesse sentido, e esse foi um dos motivos do qual me fez com que estivesse silencioso sobre esse assunto, esperando calmamente para que Armindo Araujo reagisse sobre a noticia do seu despedimento e consequente substituição pelo australiano Chris Atkinson. E pelos vistos, isto parece mais com um caso de policia do que propriamente um despedimento por maus resultados.
Assim sendo, parece que vai haver mais capitulos a esta história. E vamos a ver se – e como – é que a FIA reagirá a isto. Não no Rali da Alemanha, mas nas corridas seguintes, por exemplo.
E em relação à sua carreira desportiva… direi que mais vale ficar calado do que dizer bacoradas. 
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s