Youtube Pikes Peak: O video do recorde de Löeb em Pikes Peak

E como seria de esperar, Sebastien Löeb mostrou que tinha uma máquina imbatível no Pikes Peak deste ano. Esta tarde – manhã em paragens americanas – o piloto francês pegou no seu Peugeot 208 Ti16 e mostrou que aquilo que tinha feito nos treinos era tudo real. E hoje, as coisas foram ainda melhor: o piloto francês pulverizou o recorde da subida à montanha, com o tempo de oito minutos, 13 segundos e 878 centésimos.
Impressionante, hein? Eis o video da sua subida recorde. O chato é que foi muito mal captado e mal feito pela Red Bull, que transmitiu isto em direto… parece que recuei 40 anos no tempo.

Formula 1 2013 – Ronda 8, Grã-Bretanha (Corrida)

Três semanas depois do Canadá, máquinas e pilotos atravessavam o Atlântico para correr o GP da Grã-Bretanha, num dos circuitos que fazem parte da História, que é Silverstone. Um circuito totalmente modificado desde os seus primórdios, em nome de uma manutenção no calendário e das exigências cada vez maiores, em nome da segurança. Interessante ver que durante esse tempo, Monza não recebeu assim tantas exigências para que melhore o seu circuito…
Depois de ontem os Mercedes terem monopolizado a primeira linha da grelha na qualificação, na frente dos Red Bull, a grande curiosidade era saber se seria mais do mesmo ou haveria alguma grande modificação, tão dramática que afetasse o campeonato do mundo. Iria acontecer, mas para lá chegarmos, leiam o resto destas linhas.  

A corrida começou com Lewis Hamilton a ser melhor do que Nico Rosberg, instalando-se na liderança. Vettel foi também melhor do que o alemão, relegando-o para o terceiro posto, atrás de Kimi Raikkonen, já que Mark Webber teve um mau arranque, sofrendo um toque de Romain Grosjean e caira para o 15º posto. Com o passar das voltas, o piloto britânico alargou a sua vantagem de modo a querer dominar a corrida, mas as suas intenções terminaram na s´ttima volta, quando o seu pneu traseiro esquerdo rebentou, obrigando-o a ir ás boxes e sair de lá na cauda do pelotão. A sua corrida estava estragada, mas aquilo era apenas o inicio do drama.
É quer na 12ª volta, era a vez de Felipe Massa sofrer um furo, causando um despiste e consequente ida às boxes, causando preocupação naqueles que viam a corrida como um teste de resistência a um bando de pneus que aguentava muito pouco, senão nada.
E com o passar das voltas, as coisas pioravam em relação aos furos. Na volta 15, era a vez do Toro Rosso de Jean-Eric Vergne, que viu explodir (também!) o seu pneu traseiro esquerdo em plena Stowe, na frente das Lotus. Com a quantidade de pneus furados, já se pedia uma intrevenção de qualquer forma, até à interrupção da corrida. E foi o que aconteceu na volta seguinte, com a entrada do Safety Car.
Com os comissários de pista a recolherem apressadamente os pedaços de borracha e a Pirelli a recolher os pedaços maiores para os levar de volta à fábrica, os pilotos esperavam que não existisse mais furos. Mas mesmo assim as coisas andavam mal para certos pilotos. Sebastian Vettel, por exemplo, tinha sido avisado de que um dos seus pneus tinha rachas e teria de fazer as curvas com cuidado.
Após seis voltas de limpeza, a corrida voltou à carga, com Vettel e Rosberg nos lugares da frente, mas nenhum deles ameaçava um com o outro. Atrás, as coisas andavam mais agitadas, ainda por cima com os pilotos a optarem por pneus mais duros e uma maior pressão nos pneus, para fazer com que durem mais tempo e evitar outros furos inesperados.
Parecia que com isso tudo, as coisas iriam ficar calmas. Na frente, Vettel seguia no comando, com Rosberg atrás e os pneus pareciam que iriam aguentar até ao final da corrida. Mas a dez voltas do fim… o piloto alemão pára na frente da meta, com  a caixa de velocidades quebrada e pela segunda vez, o Safety Car entrava na pista. Este ficou por quatro voltas, com Rosberg na frente, e pilotos como Webber, Alonso e Hamilton, com pneus mais frescos, a tentar passar o maior numero de pilotos possivel para conseguir aproveitar melhor o problema que Vettel teve. Em contraste, Raikkonen, com os pneus mais velhos, era segundo e tinha de aguentar o assédio dos outros. 
E assim foi: Rosberg foi para a frente, sem ser incomodado, com Raikkonen a tentar aguentar os outros pilotos, mas foi inevitavelmente ultrapassado por Webber, Alonso e Hamilton. Estes dois últimos pilotos andaram um atrás do outro, mas o inglês, que queria compensar o pneu furado, não conseguiu apanhar o espanhol para chegar ao pódio.
No final, Nico Rosberg conseguiu a sua segunda vitória do ano, aguentando um Mark Webber que fez uma excelente parte final da corrida para conseguir o segundo posto, e Fernando Alonso ficava com o lugar mais baixo do pódio – depois de apanhar um susto quando o pneu traseiro esquerdo de Sergio Perez explodiu na sua frente na Hangar Straight – sendo o melhor beneficiado na luta pelo titulo, subindo para o segundo posto. Hamilton foi o quarto, seguindo por Raikkonen, Massa, Sutil, Ricciardo, Di Resta (que conseguiu pontuar partindo de último!) e Hulkenberg.
Agora teremos Formula 1 na semana que vêm, na Alemanha. Mas esta tarde mostrou-se que haverá questões por responder em algumas fábricas, principalmente numa em particular em Itália… e claro, muitas equipas zangadas.

Noticias: Piloto italiano morre em Paul Ricard

Definitivamente, a bruxa anda solta no automobilismo. Oito dias depois de Allan Simonsen, em Le Mans, um acidente esta manhã durante o Lamborghini Super Trofeo, uma corrida de apoio à Blaincplain Endurance Series, no circuito de Paul Ricard, uma carambola envolvendo quatro pilotos resultou na morte de um deles, o italiano Andrea Mamé. Aparentemente, o seu carro embateu com uma enorme violência nas barreiras de proteção da pista francesa, destruindo o seu carro. Outros quatro pilotos ficaram também feridos no acidente.
A organização lançou um comunicado oficial, explicando o acidente e os pilotos envolvidos, e explicou que os Lamborghinis que iriam correr na prova principal decidiram retirar-se de cena, em memória do piloto falecido esta manhã:
É com enorme tristeza que a Blancpain e a SRO Motorsports Group confirmam a trágica morte de Andrea Mamé, quando o seu Lamborghini numero 11 se envolveu numa colisão multipla no inicio da corrida da Lamborghini Blancpain Super Trofeo, esta manhã. Apesar dos melhores esforços para o socorrer, as suas lesões revelaram-se fatais. Os seus parentes já foram informados do acontecimento.” 

“Devido a isso, os Lamborghinis numeros 24 e 125, conduzidos respectivamente por Marc A. Hayek, Peter Kox, Albert von Thurn und Taxis, Stefan Rosina e Jos Menten decidiram que não irão participar na corrida desta tarde.” 

As aventuras de Löeb no Pikes Peak, ao vivo!

Mas a Blaincplan Endurance Series não é a única competição que poderemos ver ao vivo neste blog. Hoje poderemos ver, nos nossos computadores, os feitos de Sebastien Löeb e companhia no Pikes Peak, a famosa subida de montanha no estado americano do Colorado. 
Pelas 14:45 horas, hora de Lisboa – provavelmente ao mesmo tempo que termina a Formula 1 em Silverstone – máquinas e pilotos das várias categorias subirão a montanha, e o grande momento acontecerá a partir das 16:30, horas de Lisboa, quando for a vez de Löeb tentar pulverizar o anterior recorde da subida, 25 anos depois de Ari Vatanen ter feito o mesmo, num modelo 405 Ti16.
O link para o ver na Red Bull TV é este, mas vou ver se arranjo outro para se ver por aqui, ao vivo.

Blaincplan Endurance Series em Paul Ricard – ao vivo!


Live streaming by Ustream

Hoje pode ser dia de Grande Prémio de Formula 1 em Silverstone, mas há mais coisas para vermos em termos de automobilismo. A primeira chamada de atenção, cortesia do Rodrigo Mattar, é a ronda de Paul Ricard da Blaincpain Endurance Series, uma categoria de carros GT onde as grelhas estão mais cheias de carros que até enjoa!
Enfim, a partir das 14 horas, hora de Lisboa, (10 horas no Rio de Janeiro, por exemplo…) começa por aqui a corrida, caso achem a Formula 1 aborrecida…

Youtube Racing Crash: o acidente entre Kujala e Fumanelli na GP3 de Silverstone

A primeira corrida da GP3 deste GP da Grã-Bretanha ficou marcada pelo acidente entre o finlandês Patrick Kujala e o italiano David Fumanelli, onde o piloto finlandês não se livrou de um grande susto, quando viu o seu carro a capotar e a ir parar às barreiras de proteção. Felizmente, nenhum dos dois se magoou, mas o acidente fica como recordação de que o desastre está sempre à espreita…

Última Hora: Force India de Di Resta está abaixo do peso e é penalizado

O excelente quinto lugar que Paul di Resta conquistou na qualificação do GP da Grã-Bretanha tinha afinal um detalhe incómodo: o seu carro estava 1,5 quilos abaixo do peso mínimo, logo, os comissários de pista decidiram desclassificá-lo, anulando os seus tempos e o obrigando a arrancar do último lugar para a corrida de amanhã.
O que é pena, especialmente depois do piloto escocês ter celebrado este resultado, após enfrentar alguns problemas mecânicos durante o terceiro treino livre. “Estou na Lua com o resultado da classificação e acho que toda a equipe pode ficar satisfeita com o quinto lugar na grelha. O treino livre da manhã foi bem difícil, então foi muito bom me recuperar e terminar atrás apenas das duas Mercedes e das duas Red Bull”, declarara horas antes, no final da qualificação.
Esta pista exige de bastante concentração, e você precisa ir construindo a velocidade, mas eu acho que conseguimos salvar nosso melhor para o final, que é quando importa”, acrescentou.

Formula 1 2013 – Ronda 8, Grã-Bretanha (Qualificação)

E parece que os estrelados são cada vez mais uma opção a ter em conta, pelo menos na qualificação. Lewis Hamilton foi o melhor, conseguindo a pole-position “em casa” numa Silverstone cheia para ver máquinas e pilotos no seu melhor. E num monopólio, Nico Rosberg, o aniversariante da semana, ficou com o segundo lugar, colocando os Red Bull na segunda fila, com Sebastian Vettel na frente de Mark Webber, que está agora em periodo de “pré-reforma”, agora que já disse que será piloto da Porsche em 2014.
Com a Q1 a pertencer aos pilotos do costume, era interessante saber quem ficaria com aquele lugar indesejado para os pilotos do meio do pelotão. E este calhou a Valtteri Bottas, três semanas depois de ter brilhado no Canadá, à chuva. E com o tempo seco de hoje, e no fim de semana do 600º Grande Prémio por parte da Williams, este terá sido com certeza mais uma dos pontos baixos que esta equipa histórica têm vivido nos seus últimos tempos. Não muito melhor ficou Pastor Maldonado, que apesar de ter passado na Q2, ficou… um lugar na frente de Bottas.
Nessa Q2, foi a vez dos McLaren ficar de fora, especialmente Jenson Button, que ficou no pior dos lugares, a 11ª posição, demonstrando que a equipa de Woking está no seu inferno astral. Pelo menos, em termos desta temporada. E provavelmente a hipótese de vitória em 2013 será algo altamente improvável, não é? E claro, Felipe Massa também ficou no caminho, ainda por cima quando pelo terceiro fim de semana consecutivo, danifica o seu carro numa sessão de treinos. Os mecânicos da Scuderia devem adorá-lo neste momento…
Mas em alto contraste, o facto dos Force India de Adrian Sutil e Paul di Resta terem conseguido entrar na Q3, e ainda por cima, com o escocês a ficar com o quinto posto, imediatamente atrás de Mercedes e Red Bull, poderá significar que o pessoal quer brilhar nesse fim de semana, provavelmente um inedito pódio nesta temporada. E entre eles, o Toro Rosso de (desta vez) Daniel Ricciardo, que parece mostrar que aquele carro esta cada vez mais melhor, e quem sabe, para ele e Jean-Eric Vergne mostrarem a Helmut Marko e Christian Horner que merecem uma chance para o lugar deixado vago por Mark Webber.
Veremos como vai ser amanhã, na corrida. Espero que seja agradável de se ver.