O regresso de Dean Stoneman

Quem assistiu no fim de semana que passou às corridas da GP3, em Abu Dhabi, não deixou de ver na pista um piloto que havia há pouco tempo suspendido a sua carreira para tratar de um problema de saúde: tratava-se do britânico Dean Stoneman. Correndo pela Koiranen Bros, o campeão da Formula 2 em 2010 fez uma excelente corrida, tendo sido sexto classificado na primeira corrida e subindo ao pódio na segunda, demonstrando todo o seu talento. Isto depois de no inicio de 2011 ter interrompido a sua carreira para tratar de um cancro testicular, quando já tinha uma vaga na World Series by Renault, ao lado de Daniel Ricciardo.

Stoneman, atualmente com 23 anos – nasceu a 24 de julho de 1990 em Croydon – teve uma carreira interessante, especialmente na Formula Renault britânica, onde foi vice-campeão em 2007. Em 2010, passou para a Formula 2, onde conseguiu vencer seis corridas e conseguir mais sete pódios, terminando a temporada com 284 pontos, vencendo com alguma folga. No final daquele ano, como recompensa pela vitória, deu algumas voltas ao volante de um Williams de Formula 1, fazendo tempos interessantes.

Contudo, no inicio de 2011, o seu mundo desabou: os médicos diagnosticaram-lhe um cancro testicular na sua fase inicial. Apesar de devastado pela noticia, na altura afirmou que estava confiante que que iria superar este obstáculo: “Os especialistas fizeram o diagnostico precoce e estamos confiantes de que ele vai fazer uma recuperação completa, com tratamennto programado para começar de imediato“, começava por dizer o comunicado no sitio oficial do piloto. “Dean está determinado a vencer a doença e já está se inspirando em heróis desportivos como Lance Armstrong, para voltar às pistas o mais rápido possível“, concluiu.

Se ele pensava no (ainda) herói do ciclismo americano, outros recordavam do caso do piloto sueco Gunnar Nilsson, que 33 anos antes, no final de 1977, tinham-lhe dado um diagnóstico semelhante. Mas na altura, as hipóteses de sobrevivência eram relativamente escassas e após um ano de tratamentos, Nilsson sucumbiria à doença a 20 de outubro de 1978, com 30 anos de idade. Por causa disso, a sua família instituiu uma fundação com o seu nome, e os fundos ajudaram a fazer com que a mortalidade deste tipo de cancro baixasse para niveis mínimos. Hoje em dia, um cancro testicular é curável.

Este ano, após dois anos de tratamentos, Stoneman regressou ao ativo, guiando no Porsche Carrera Cup Great Britain, onde acabou por vencer cinco corridas e terminar no quinto lugar do campeonato. Mas essa não foi a competição do qual fez o seu regresso: na realidade, ele o fez… nos barcos! O pai de Stoneman foi piloto de barcos no Reino Unido, e ele fez recuperação ativa. No final do ano, um teste com um Porsche, ao lado de Tim Harvey, fez com que optasse pela competição britânica, antes de passar para a GP3.

Nos dias a seguir à corrida, fez um teste com o carro e conseguiu ficar com o melhor tempo na primeira sessão de testes, demonstrando que estava totalmente recuperado da sua enfermidade, e não tinha perdido a velocidade que o colocou entre os melhores pilotos da sua geração.
Resta saber se ainda vai a tempo de vos mais altos, como a Formula 1. Mas é bom saber que superou aquela que foi a mais difícil competição da sua vida. Certamente que regressará com mais força e confiança.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s