The End: Doriano Romboni (1968-2013)

Que o automobilismo é perigoso, todos nós sabemos. Mas o motociclismo pode ser ainda mais perigoso, e este está a ser um ano bem triste nesse campo. Esta tarde, o ex-piloto de MotoGP, o italiano Doriano Romboni, de 44 anos, morreu em consequência de um acidente durante uma sessão de treinos numa corrida em homenagem ao seu compatriota Marco Simoncelli, outro piloto de MotoGP morto em Sepang, em 2011.

Segundo os relatórios vindos do local, Romboni foi atingido por outro piloto após ter sofrido uma queda na segunda sessão de treinos para o evento. Imediatamente imobilizado e levado de helicóptero ao hospital Santa Maria Goretti, em Latina, não muito longe de Roma, e apesar dos esforços da equipa de emergência médica, o italiano acabou por não resistir aos ferimentos.
Nascido a 8 de dezembro de 1968, Romboni chegou ao MotoGP em 1989, para correr na classe de 125cc (agora Moto3) ao serviço da Honda. Depois de mais uma temporada nessa classe, onde venceu duas corridas e foi quarto classificado no campeonato, Romboni passou em 1991 para a classe 250cc (atual Moto2), onde ao serviço da HB-Honda, após uma primeira temporada algo apagada, evoluiu bastante nos anos seguintes, sendo a temporada de 1994 a melhor, terminando no quarto lugar da classificação geral, com uma vitória, em Laguna Seca. Um ano antes, tinha vencido duas corridas seguidas, na Austria e na Alemanha.

Em 1996, passa para a classe raínha dos 500cc, ao serviço da equipa oficial da Aprilia, mas sem resultados de relevo. Falhando boa parte da temporada, conseguindo apenas 23 pontos e o 14º posto, no ano seguinte conseguiu um terceiro lugar em Assen, acabando com 88 pontos e o décimo lugar da classificação. Contudo, a sua carreira na classe rainha terminou após a primeira corrida do ano, no Japão, ao serviço da MuZ-Weber, com um 12º lugar.

Em 1999, Romboni – que tinha conseguido a alcunha de “Rambo” pelo seu estilo aguerrido – passou para a Superbike, onde aos comandos de uma Ducati, teve boas prestações a´te sofrer um grave acidente em Monza com o neozelandês Aaron Slight. gravemente lesionado nas pernas, basicamente a sua carreira terminou por aqui, apesar de ter tentado regressar à competição em 2000 e 2004, especialmente no campeonato italiano da categoria.
E a grande ironia é que morreu num evento de homenagem a outro piloto. É mesmo triste. Ars lunga, vita brevis. 
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s