Youtube Movie Presentation: A apresentação de "Rush" nos Globos de Ouro

“Rush” tinha duas nomeações para os Globos de Ouro: Melhor Filme em Drama, e Melhor Ator Secundário. Não ganhou nenhuma delas, mas a apresentação do filme, ontem à noite, ficou a cargo de Chris Hemsworth e… Niki Lauda.
Amanhã vão ser as nomeações para os Óscares. Vamos a ver se leva alguma, e se sim, quantas e em que categorias.

Noticias: "Rush" leva quatro nomeações para os BAFTA

Melhor filme britânico, melhor ator secundário, melhor som e edição. Estas são as quatro nomeações que “Rush” conseguiu esta tarde, na apresentação dos nomeados para a edição dos BAFTA, os prémios da British Academy of Film and Television Arts, que premeiam os melhores na Grã-Bretanha.
O filme, realizado por Ron Howard, retrata a temporada de 1976 da Formula 1 e o duelo entre o britânico James Hunt e o austriaco Niki Lauda, com momentos altos, como o acidente que o piloto austríaco sofreu em Nurburgring, a 1 de agosto de 1976, que deixou marcas na sua pele. Daniel Bruhl, o hispano-alemão que interpreta a personagem de Lauda, conseguiu mais uma nomeação para ator secundário, depois de o ter conseguido há umas semanas a nomeação para os Globos de Ouro.
A cerimónia de entrega dos prémios acontecerá a 16 de fevereiro.

Noticias: Carro de Paul Walker ia a mais de 160 km/hora no momento do acidente

O ator Paul Walker, morto no passado dia 30 de novembro em Los Angeles, ia como passageiro no Porsche Carrera GT vermelho a mais de 160 km/hora quando sofreu o seu acidente fatal em Santa Clarita. Esse é um dos fatos divulgados hoje pelo relatório final da autópsia. O relatório também indica que nenhum dos dois elementos tinha algum elemento de alcool ou drogas nos seus corpos no momento do acidente.
De acordo com o relatório, Roger Rodas, o amigo de Paul Walker que se encontrava ao volante, “conduzia o Porsche Carrera GT vermelho a uma velocidade perigosa, à rondar os 160 km/h”. No texto acrescenta-se que “o veículo foi totalmente destruído e praticamente cortado em dois” e especifica-se que “a maior parte da carcaça da viatura foi carbonizada”. 
Os médicos legistas confirmaram também que o ator morreu devido a “múltiplos ferimentos traumáticos” e a queimaduras, como já tinham indicado no relatório preliminar. No entando, o jornal “Los Angeles Times” cita elementos do relatório da autópsia que Walker estava tão carbonizado que nem os seus órgãos estavam disponíveis para uma eventual doação.
Walker de 40 anos, ficou famoso com a sua participação nos filmes da série “Fast and the Furious” e tinha acabado de filmar o sétimo filme da série quando participou a 30 de novembro numa ação de caridade da garagem em que era dono parcial, a bordo do Porsche Carrera GT que acabaria por o matar.

Cevert e Stewart em filme? Esqueçam

Na altura não vi isto porque estava de férias, mas sabia desde há algum tempo que havia planos por um filme sobre Francois Cevért e Jackie Stewart, pilotos da Tyrrell entre 1970 e 1973. Esta tarde, enquanto via um artigo na Autosport britânica sobre pilotos de ficção, uma frase despertou a minha curiosidade, e fui espreitar. Acabei por descobrir que, há seis meses atrás, os planos para um filme sobre ambos os pilotos ficaram adiados “sine die” porque Hollywood queria meter o bedelho e “falsificar a história”.

O jornal Daily Mail escreveu uma noticia a meio de junho, onde conta que os planos para um filme entre os dois pilotos foram cancelados porque um dos produtores, William Pohlard, queria meter um “affaire” entre ambos os pilotos com Helen Stewart, algo que ela mesma vetou. “Seria um grande filme, mas eles queriam dizer que eu tive um affair com François Cevért… Eu não os deixaria fazer isso, porque não era verdade. Seria provavelmente a parte mais empolgante, se fosse verdade. Mas não era. François era um grande amigo meu e de Jackie, e eles queriam criar uma situação a respeito disso, o que é de doidos”, contou.
François era descrito como um dos homens mais “sexys” de França naquele período. Divertimos imenso ao seu lado, ele adorava as crianças, amava a todos que estivessem connosco e tinha uma grande namorada. Mas Jackie e eu somos namorados de infância e estamos casados há 50 anos. Eu o conheci quando tinha 16 e casamo-nos quando tinha 21. Temos dois filhos e nove netos juntos. De qualquer forma, eles não vão fazer o filme. Esta foi a única razão por ele ter sido paralisado – o que parece um pouco estúpido para mim, visto que essa história nem era verdadeira, em primeiro lugar”, concluiu.
Já agora, o filme iria custar à volta de vinte milhões de libras – uns 30 milhões de dólares. O que vai acontecer, entretanto, não sei, mas na altura, falava-se que o projeto continuava em desenvolvimento. Em Hollywood há um nome para isso: “development hell“. Ou seja, fica adiado para as calendas gregas.

Mas creio que, a parte disto, Hollywood está a gostar de automobilismo. Tivemos “Rush”, dois documentários – “Senna” e “1” – e em breve, poderemos ver Tom Cruise e – quem sabe – Brad Pitt num Ford GT40 em Le Mans, graças a “Go Like Hell”. Vão ser tempos interessantes.

Noticias: Cruise e Pitt juntos em "Go Like Hell"?

Já se falava disso mesmo na primeira incarnação, quando Michael Mann tinha sido escolhido para realizar o filme, mas agora parece que Brad Pitt poderá contracenar ao lado de Tom Cruise na adaptação para o cinema de “Go Like Hell, o livro de A.J. Baime que fala da rivalidade entre Ford e Ferrari nos anos 60 pela vitória nas 24 Horas de Le Mans. Pelo menos é o que os sites de cinema andam a falar nos últimos três dias, que houve um convite nesse sentido por parte da produção
O filme será realizado por Joseph Kosinski – o mesmo de “Tron : Legacy” e “Oblivion” – e apesar de não se saber quando é que as filmagens começarão, já se sabe que um argumento foi escrito e mais atores estão a ser recrutados. 
Desconhece-se ainda que papeis ambos os atores poderão ter, mas conhece-se o interesse que Cruise têm pelo papel de Carrol Shelby, enquanto que entre as várias hipóteses que Pitt teria para escolher – caso aceite o convite – o favorito seria a de Ken Miles, o piloto que mais testou o GT40 até à sua quase vitória em Le Mans, em 1966, apenas dois meses antes da sua morte, durante uma sessão de testes na California.
Caso ambos os atores sejam confirmados no filme, será a primeira vez que contracenam juntos em vinte anos, depois de “Entrevista com o Vampiro“.

Noticias: Rush leva duas nomeações para os Globos de Ouro

Já se sabia que “Rush” era um sucesso de critica e de público, mas agora é que surgem as nomeações e os prémios. E o filme de Ron Howard começa a compensar: duas nomeações para os Globos de Ouro, a antecâmara dos Oscares. E logo em categorias importantes: Melhor Filme e Melhor Ator Secundário, para o alemão (mas de origem catalã) Daniel Bruhl, pelo seu papel de Niki Lauda. E está não é a primeira nomeação: Bruhl já foi nomeado para o mesmo lugar no Screen Actors Guild Awards.
As nomeações para o Globos de Ouro são normalmente uma antecâmara para os Oscares, e apesar de haver uma divisão entre os filmes de Drama e de Comédia ou Musical, o filme que retrata a temporada de 1976 poderá ter uma boa hipótese de conseguir uma nomeação na categoria mais importante.
Aqui não se costuma dar prémios nas categorias técnicas, mas existe uma forte hipótese nesse sentido nos Prémios da Academia – vulgo Óscares – principalmente nas categorias de edição, som e efeitos especiais. Veremos.

Os aproveitadores da desgraça alheia

O acidente mortal de Paul Walker, que aconteceu há quase uma semana, em Santa Clarita, na California, deu – como seria de esperar – uma maré de manifestações de pesar, mas também surgiram os oportunistas e os “abutres”, os aproveitadores da desgraça alheia. Jameson Whitty, de 18 anos, foi preso esta sexta-feira – e têm agora uma fiança de 20 mil dólares sobre ele – por ter colocado online um pedaço do Porsche acidentado, que foi roubado do reboque que o transportava.
A matéria, que e hoje referida no Opposite Locke, um dos sites laterais ao Jalopnik, foi justificado pelo ladrão, afirmando: “Consegui isto através de um amigo meu que estava a guiar o reboque, e ficamos com isto como sinal de respeito pela pessoa que o fez gostar de carros.” Pois…
A policia de Los Angeles disse também que um segundo homem, de 25 anos, está também a ser procurado neste caso. “Uma testemunha afirmou que viu um sujeito de sexo masculino de um automóvel que seguia o reboque. Esse sujeito agarrou um pedaço do Porsche acidentado do reboque e foi-se embora com esse pedaço“, afirmou um porta-voz, em comunicado.
Para terem uma ideia, um pedaço daqueles é habitualmente vendido no eBay à volta dos 6500 dólares, pouco mais de seis mil euros, enquanto que de acordo com as leis californianas, é considerado “furto” quando o pedaço – ou o objeto – valer mais de 400 dólares… 

A suspensão das filmagens e a sentida homenagem a Paul Walker

Já tinha ouvido alguma coisa no domingo ou na segunda-feira, mas hoje parece que é oficial: a Universal Studios decidiu suspender por tempo indeterminado as filmagens da sétima série do “The Fast and The Furious”, em respeito à memória de Paul Walker, morto no sábado em Santa Clarita, na California. Apesar deste anuncio, isso não iria afetar as filmagens, pois estas já estavam feitas, com a sua conclusão a ser marcada inicialmente para o dia 2 de dezembro. Não se sabe ainda se a data de lançamento inicialmente prevista, 11 de julho de 2014, será alterada, dadas as circunstâncias do desaparecimento de um dos seus principais protagonistas.
Entretanto, surgiu também esta quinta-feira o relatório da autópsia aos corpos de Walker e do seu companheiro Roger Rodas. Segundo os peritos médicos, Rodas teve morte imediata, enquanto que Walker sucumbiu “pelo efeito combinado de lesões traumáticas e queimaduras” provocadas pelo incêndio que se seguiu ao choque do Porsche contra uma árvore. Já o resultado do exame toxicológico aos dois ocupantes do carro vai demorar ainda algumas semanas a ser conhecido.
Entretanto, na quarta-feira, a Universal lançou um pequeno filme de dois minutos onde presta homenagem a Walker, juntando as cenas de todos os filmes do “The Fast and The Furious”, desde o primeiro, em 2001. Até agora, já teve quase seis milhões de visualizações em dois dias

E no Nobres do Grid deste mês…

(…) desde há algumas semanas que corre a noticia de que Tom Cruise poderá fazer a adaptação para o cinema de “Go Like Hell”, o livro de A.J. Baime sobre a luta entre a Ford e a Ferrari nos anos 60 para a vitória nas 24 horas de Le Mans. Eu tenho o livro em casa – em Portugal ficou com o titulo de “Como Uma Bala” – e as personagens são titânicas. Enzo Ferrari, Henry Ford II, Carrol Shelby, John Surtees e Ken Miles, entre outros, são personagens que ajudaram a moldar um periodo de tempo bem interessante que foi entre 1961 e 1966, ano em que os Ford, modelo GT40, ficaram com os três primeiros lugares na clássica francesa. 

Fala-se que Cruise quer o papel de Carrol Shelby, o criador dos Cobra e que ajudou a fazer o GT40, e se tornou numa lenda americana “per se”. Caso ele aceite o projeto, seria um regresso, mais de vinte anos depois de ter feito “Days of Thunder”, onde fazia o papel de Cole Trickle, piloto da NASCAR. Ainda não se sabe quando é que vai começar as filmagens, mas fala-se de meados de 2014, depois de Cruise fazer o quinto filme da série “Missão Impossivel”. Quanto ao realizador, depois de Michael Mann se ter metido no projeto, agora fala-se de Joseph Kosinski, o mesmo que fez “Tron: Legacy”.
Estas noticias fizeram-me pensar sobre se estaríamos a caminho de uma era onde Hollywood iria se dedicar ao automobilismo. Sei desde há muito tempo de projetos sobre pilotos e personagens, e lembrei-me de que esta Primavera, tinha tido uma conversa via Twitter com o jornalista Peter Windsor sobre “Rush”. Pelo meio, falamos sobre outros filmes que Hollywood poderia estar a pensar em adaptar. Sabia de “Go Like Hell”, e acabamos a falar sobre a ideia de um filme sobre Richard Seaman, o primeiro britânico a competir no Grand Prix dos anos 30, cujo centenário do seu nascimento de comemora este ano. Ele falou que o projeto existe – eu sabia disso através de um artigo que tinha lido em 2012 – mas que estava em “development hell”. Traduzido para português: esperava por melhores dias. 

 E é se calhar isso que está a acontecer: muitos dos projetos que conheço estavam à espera pelo “hype” de “Rush” para avançarem. E até o “Go Like Hell” estava nesse compasso de espera porque, segundo eles, esperavam para ver o que iria acontecer com a recepção deste filme. Agora que toda a gente sabe, eles avançaram com o projeto, e logo com um nome tão sonante como ele. (…)
Este mês, o meu artigo no site Nobres do Grid fala sobre automobilismo em Hollywood. Pouco tempo depois de estrearem “Rush”, o filme de Ron Howard sobre a temporada de 1976 e o duelo entre Niki Lauda e James Hunt, o sucesso de critica – e de bilheteira – do filme fez avançar novos projetos. “Go Like Hell” poderá ser o próximo filme, e poderá contar com Tom Cruise como o ator principal. Mas outros projetos poderão estar a caminho, sendo que pelo menos quatro estão a ser vistos e construídos por argumentistas e produtores.
No artigo falo também sobre que situações ou personagens mereceriam um filme de Hollywood. O duelo Senna/Prost é inevitável, mas muitas outras personagens do automobilismo, bem como situações e eras ao longo da história do século XX também merecem filmes, pois felizmente, o automobilismo é rico de história… e estórias.

Youtube Motorsport Soundtrack: "Rush" ao piano

Para que não haja enganos, quando falo de “Rush”, é sobre o filme do Ron Howard e não da clássica banda canadiana de rock. Dito isto, volto a falar da banda sonora de Hans Zimmer por causa deste arranjo ao piano que descobri no Youtube, onde o pianista, alcunhado de “Silfimur”, em quase um quarto de hora, coloca aqui um “medley” das musicas que compõem a banda sonora.
E o resultado é este que vocês ouvem. Eu gostei imenso, confesso.