Youtube Movie Presentation: A apresentação de "Rush" nos Globos de Ouro

“Rush” tinha duas nomeações para os Globos de Ouro: Melhor Filme em Drama, e Melhor Ator Secundário. Não ganhou nenhuma delas, mas a apresentação do filme, ontem à noite, ficou a cargo de Chris Hemsworth e… Niki Lauda.
Amanhã vão ser as nomeações para os Óscares. Vamos a ver se leva alguma, e se sim, quantas e em que categorias.
Anúncios

Noticias: "Rush" leva quatro nomeações para os BAFTA

Melhor filme britânico, melhor ator secundário, melhor som e edição. Estas são as quatro nomeações que “Rush” conseguiu esta tarde, na apresentação dos nomeados para a edição dos BAFTA, os prémios da British Academy of Film and Television Arts, que premeiam os melhores na Grã-Bretanha.
O filme, realizado por Ron Howard, retrata a temporada de 1976 da Formula 1 e o duelo entre o britânico James Hunt e o austriaco Niki Lauda, com momentos altos, como o acidente que o piloto austríaco sofreu em Nurburgring, a 1 de agosto de 1976, que deixou marcas na sua pele. Daniel Bruhl, o hispano-alemão que interpreta a personagem de Lauda, conseguiu mais uma nomeação para ator secundário, depois de o ter conseguido há umas semanas a nomeação para os Globos de Ouro.
A cerimónia de entrega dos prémios acontecerá a 16 de fevereiro.

Formula 1 em Cartoons: o novo trenó do Pai Natal (Riko Cartoon)

O Frederico Ricciardi (a.k.a Riko) decidiu também fazer uns postais de Natal, mas gosto deste em particular, pois coloca o Pai Natal (Babbo Natale em italiano) a bordo de um Ferrari 312B3 de 1974, pertencente a Niki Lauda. Com o numero 25 estampado no chassis e os provavelmente 500 cavalos… perdão, renas de potência, de certeza que iria entregar as prendas o mais rapidamente possivel.
Contudo, aparenta haver uma certa pessoa que não está muito feliz com essa troca. Pelo menos é o que vejo da atitude daquele sujeito do fundo do desenho… 

Noticias: Rush leva duas nomeações para os Globos de Ouro

Já se sabia que “Rush” era um sucesso de critica e de público, mas agora é que surgem as nomeações e os prémios. E o filme de Ron Howard começa a compensar: duas nomeações para os Globos de Ouro, a antecâmara dos Oscares. E logo em categorias importantes: Melhor Filme e Melhor Ator Secundário, para o alemão (mas de origem catalã) Daniel Bruhl, pelo seu papel de Niki Lauda. E está não é a primeira nomeação: Bruhl já foi nomeado para o mesmo lugar no Screen Actors Guild Awards.
As nomeações para o Globos de Ouro são normalmente uma antecâmara para os Oscares, e apesar de haver uma divisão entre os filmes de Drama e de Comédia ou Musical, o filme que retrata a temporada de 1976 poderá ter uma boa hipótese de conseguir uma nomeação na categoria mais importante.
Aqui não se costuma dar prémios nas categorias técnicas, mas existe uma forte hipótese nesse sentido nos Prémios da Academia – vulgo Óscares – principalmente nas categorias de edição, som e efeitos especiais. Veremos.

Youtube Motorsport Soundtrack: "Rush" ao piano

Para que não haja enganos, quando falo de “Rush”, é sobre o filme do Ron Howard e não da clássica banda canadiana de rock. Dito isto, volto a falar da banda sonora de Hans Zimmer por causa deste arranjo ao piano que descobri no Youtube, onde o pianista, alcunhado de “Silfimur”, em quase um quarto de hora, coloca aqui um “medley” das musicas que compõem a banda sonora.
E o resultado é este que vocês ouvem. Eu gostei imenso, confesso.  

Formula 1 em Cartoons: Japão (Riko Cartoon)

O cartoon que Frederico Ricciardi (“Riko”) fez para o F1 Passion.it, onde Sebastian Vettel está com muita pressa para sair do “clube dos tricampeões” – tem apenas 26 anos – e juntar-se a Alain Prost no “clube do tetra”. 
Apesar de pedir desculpas aos que lá estão no clube, suspeito que poderá não ficar lá durante muito tempo…

Formula 1 em Cartoons: Japão (Riko Cartoon)

O cartoon que Frederico Ricciardi (“Riko”) fez para o F1 Passion.it, onde Sebastian Vettel está com muita pressa para sair do “clube dos tricampeões” – tem apenas 26 anos – e juntar-se a Alain Prost no “clube do tetra”. 
Apesar de pedir desculpas aos que lá estão no clube, suspeito que poderá não ficar lá durante muito tempo…

Youtube Motorsport Classic: GP da Suécia de 1978, na íntegra

Esta é uma pequena pérola que encontrei neste sábado à tarde: a corrida – na íntegra – do Grande Prémio da Suécia de 1978, que se realizou no circuito de Anderstorp, e no qual se viu o Brabham BT46B, com uma ventoinha a servir de “efeito-solo” alternativo ao sistema arranjado por Colin Chapman e o seu Lotus 79, que começava a dominar a concorrência naquela temporada, depois de ter sido estreado em Zolder, no GP da Belgica.
O “carro-ventoinha” foi controverso desde o inicio, com quatro equipas a contestar a sua legalidade: Lotus (quem diria!), Tyrrell, Ligier e Surtees. Contudo, os comissários disseram que não havia nada que fosse contra os regulamentos e deixaram seguir. Sabe-se que Bernie Ecclestone, então o patrão da Brabham, ordenou que os carros de Niki Lauda e John Watson estivessem carregados de gasolina para que não existisse um monopólio da primeira fila. Mário Andretti fez a pole-position, mas Watson e Lauda estavam logo a seguir.
Não foi uma corrida muito emocionante na frente, dado que Lauda o domina, graças à ventoinha instalada no Brabham BT46B, mas os grandes duelos acontecem mais atrás, especialmente entre o Arrows de um jovem Riccardo Patrese e o Lotus 79 de Ronnie Peterson, que queria muito vencer “em casa”, mas é batido por cerca de um centésimo de segundo, e fica com o terceiro posto. Os troféus são entregues pelo Rei da Suécia, Carl Gustaf, que é um notório “petrolhead”.
No entanto, para mim, a imagem mais impagável acontece a partir da 1:57 horas: após Lauda parar o seu Brabham, toda a gente espreitava a ventoinha colocada no BT46B, incluindo um jovem Patrick Head, da Williams, identificado com a camisola verde com o numero 27, e o projetista Gerard Ducarouge, com óculos escuros e a segurar uma placa.
O resto da história é conhecido: a FIA considera o BT46B ilegal, mas apenas a partir do GP de França, logo, validando a vitória do austríaco na Suécia. Assim, este chassis retirou-se com um palmarés perfeito: uma corrida, uma vitória. 
E claro, este foi a última corrida na Suécia. Com as mortes de Ronnie Peterson e Gunnar Nilsson, as pessoas perderam o interesse em ver a Formula 1 e apesar de ter sido marcado um GP da Suécia no calendário de 1979, este foi cancelado, devido à escassa procura de bilhetes.
Eis a corrida na íntegra, ideal para quem quiser “queimar tempo” até à corrida de Suzuka. 

Youtube Formula 1 Classic: GP Dino Ferrari, Imola, 1979

Descobri estas filmagens graças a uma foto colocada pelo Rianov o “ressuscitado” blog F1 Nostalgia. O nosso “russo” colocou uma foto do GP Dino Ferrari, que aconteceu a 16 de setembro de 1979, e que serviu como a “reinauguração” da pista italiana, para que servisse como palco, no ano seguinte, do GP de Itália.
A corrida aconteceu uma semana depois do GP de Itália, que consagrou o sul-africano Jody Scheckter como campeão do mundo, e os Ferrari – de Scheckter e do canadiano Gilles Villeneuve – fizeram uma dobradinha triunfal em Monza. Agora em Imola, a parada continuava, com os dois Ferrari a arrastarem mais de 35 mil espectadores para uma corrida que duraria 40 voltas. 
E para além dos Ferrari, estavam os Alfa Romeo, recém chegados à Formula 1, guiados por Bruno Giacomelli e Vittorio Brambilla, o Lotus de Carlos Reutemann e o Brabham-Alfa Romeo de Niki Lauda, para além dos Williams não oficiais de Giacomo Agostini – sim, o multiplo campeão do mundo de motociclismo! – e de “Gimax“, um piloto que corria com… peruca.
Eis a corrida na sua íntegra, que terminou com a vitória de Lauda, na última vez em que usou o motor Alfa Romeo no seu Brabham. O austríaco terminou na frente de Reutemann e Scheckter. E também para Lauda seria a sua última corrida antes de se retirar abruptamente da Formula 1 alguns dias depois, em Montreal.

Outra curiosidade: a transmissão da televisão italiana têm como auxiliar… Clay Regazzoni.

Youtube Formula 1 Classic: GP Dino Ferrari, Imola, 1979

Descobri estas filmagens graças a uma foto colocada pelo Rianov o “ressuscitado” blog F1 Nostalgia. O nosso “russo” colocou uma foto do GP Dino Ferrari, que aconteceu a 16 de setembro de 1979, e que serviu como a “reinauguração” da pista italiana, para que servisse como palco, no ano seguinte, do GP de Itália.
A corrida aconteceu uma semana depois do GP de Itália, que consagrou o sul-africano Jody Scheckter como campeão do mundo, e os Ferrari – de Scheckter e do canadiano Gilles Villeneuve – fizeram uma dobradinha triunfal em Monza. Agora em Imola, a parada continuava, com os dois Ferrari a arrastarem mais de 35 mil espectadores para uma corrida que duraria 40 voltas. 
E para além dos Ferrari, estavam os Alfa Romeo, recém chegados à Formula 1, guiados por Bruno Giacomelli e Vittorio Brambilla, o Lotus de Carlos Reutemann e o Brabham-Alfa Romeo de Niki Lauda, para além dos Williams não oficiais de Giacomo Agostini – sim, o multiplo campeão do mundo de motociclismo! – e de “Gimax“, um piloto que corria com… peruca.
Eis a corrida na sua íntegra, que terminou com a vitória de Lauda, na última vez em que usou o motor Alfa Romeo no seu Brabham. O austríaco terminou na frente de Reutemann e Scheckter. E também para Lauda seria a sua última corrida antes de se retirar abruptamente da Formula 1 alguns dias depois, em Montreal.

Outra curiosidade: a transmissão da televisão italiana têm como auxiliar… Clay Regazzoni.