Blog Day 2008

Pois é… aqueles que blogam, tem também o seu dia. E a data escolhida é o dia 31 de Agosto, pois são os numeros mais próximos da palavra Blog. Já tinha feito esta brincadeira no ano passado, e este ano vou repetir a coisa, pois neste ano que passou, conheci muitos blogs interessantes e bem feitos.
Este ano, os cinco blogs que escolhi são exactamente aqueles que descobri neste ano que passou, e são eles:

1 – Estrelices. Este é o blog de Cristina Duarte, uma conterrânea minha, que fala sobretudo das suas vivências do dia-a-dia, num cunho verdeiramente pessoal. Umas vezes bem humorada, outras nem tanto, é um blog agradável de se ler, especialmente quando ficas enjoado de escrever!
2 – F1 Nostalgia. Este é o blog de Rianov Albinov (eu sei o nome verdadeiro, mas não digo…), um “soviético perdido no mundo” (nas palavras dele), e fala sobre o passado na Formula 1, especialmente as “historietas” que ele acha, vindas sabe se lá de onde, mas todas elas são verdadeiras! Para quem gosta do passado, é um sitio a não perder.
3 – jcspeedway. É o blog de João Carlos Viana, um internauta de 25 anos, de Fortaleza. Essencialmente, fala sobre as corridas do passado com tal precisão e beleza, que até parece que esteve lá! E as suas crónicas sobre o automobilismo actual não são de desprezar. Na minha opinião, creio que é um tesouro escondido, digno de ser visitado…
4 – Cadernos do Automobilismo. É o blog de Daniel Médici, que se auto-define como um “jornalista em deformação. Jovem demais para escrever bem, velho demais para ser sincero.” O seu blog tenta escrever de uma forma crítica quer a actualidade, quer certas vivências do passado do automobilismo, numa forma mais crítica e menos asséptica do que o mero “noticiário”…
5 – Blog Guard Rail. É o sitio de Priscilla Bar, uma brasileira de 25 anos radicada há algum tempo nas Canárias. É uma observadora priveligiada do que se passa no pais vizinho, pois no país de Fernando Alonso, é interessante saber se o automobilismo espanhol vai além da “Alonsomania”…
Aos que não foram nomeados, desculpem lá, pois a escolha era grande e só havia cinco vagas. Aos que já foram nomeados no ano anterior, ainda vão a tempo para fazerem o vosso, e escolherem os vossos favoritos. Agora é avisar esses senhores que eles foram nomeados, para que continuem a cadeia, não é? E depois repetir o feito todos os anos, pois somos muitos, e cada vez mais importantes. É ou não é verdade?
Anúncios

Formula Renault: Sorte e azar para o Formiga…

Com uma jornada quadrupla para Nurburgring, duas para a Eurocup, e duas para o NEC (North European Competition), António Felix da Costa teve sortes diferentes em ambas as competições. Se no primeiro caso fez o seu trabalho, conseguindo meter o seu carro no “Top Ten” de uma competição do qual concorrem 43 pilotos, e do qual só dez pontuam (e participa em part-time!), no segundo caso, a participação ficou aquém das expectativas, pois um toque na segunda corrida, quando era o lider, fê-lo sair de pista e entregar o título ao finlandês Valtteri Bottas.

Mas vamos por partes: na segunda corrida da Eurocup, vários incidentes marcaram a partida, que ditou a saída do Safety-Car. Mas isso não foi impeditivo para o finlandês Valteri Bottas, que liderou a prova do inicio até ao fim, sem ser incomodado pelos outros adversários, como o espanhol Roberto Mehri, o segundo, e o italiano Andrea Calderari, o terceiro.
Felix da Costa largou do oitavo posto, devido à penalização de quatro lugares na grelha de partida do espanhol Albert Costa, e integrou um grupo formado por Jean-Éric Vergne, o australiano (e actual líder), Daniel Ricciardo, o alemão Tobias Hegewald (seu comanheiro na Motorpark), o polaco Kuba Giermaziak e o inglês Alex Morgan, todos a lutar pelo quarto posto. O português acabou terminar no nono lugar, em cima de Morgan, que aguentou os ataques do Formiga. Mesmo assim, conquistou dois pontos neste campeonato, no qual participa em “part time”.
No campeonato NEC (North European Competition), no qual é o candidato a ser vice-campeão e “Rookie do Ano”, as coisas não correram muito bem neste fim de semana. Na primeira corrida, Felix da Costa arrancava do oitavo posto, posição em que manteve no arranque. Na quarta volta, Félix da Costa ultrapassaria o inglês Nigel Melker, assumindo o sétimo posto, e passou a atacar o finlandês Daniel Aho, mas este defendeu-se bem, mantendo o seu sexto lugar até ao fim.
A segunda corrida prometia mais, pois Felix da Costa arrancava da segunda posição da grelha. O seu arranque foi excelente, e no final da primeira curva, ele era o líder. Contudo, o jovem piloto sofreu vários toques ao longo da primeira volta, que resultariam num pneu furado. Sabendo que a sua corrida estava perdida, rumou às boxes para trocar o pneu danificado e regressou à prova, mas com uma volta de atraso, não tinha qualquer possibilidade de terminar num lugar pontuável, sendo o 22º.
No final, Felix da Costa resumiu assim o seu fim de semana de altos e baixos: “Há dias em que tudo nos sai mal. Ao longo de todo o ano tanto a equipa como eu temos feito um bom trabalho, mas desta vez nada saiu bem. Sei que há dias assim e não vou baixar os braços, e na prova final do NEC, em Spa, vou dar o meu melhor para garantir o 2º lugar no campeonato. Antes disso vou estar no Estoril, para mais uma prova da Eurocup, onde espero dar uma grande alegria à minha equipa, patrocinadores a todos os que me têm apoiado neste 1º ano de fórmulas!”

IRL – Ronda 16, Detroit

A IRL prossegue rumo ao seu final, e tudo indica que Scott Dixon está perto do tão almejado título, no ano da fusão (ou compra, se perderirem…) entre a IRL e a CART. E na etapa de Detroit, que decorreu esta noite, o melhor foi Justin Wilson, um dos pilotos que veio da extinta CART, que levou a melhor sobre Helio Castroneves, que foi segundo, e ganha mais algum tempo de vida na luta pelo título, e de Tony Kanaan, que fecha o pódio.
Quanto a Scott Dixon, foi prejudicado pela má tática da Chip Ganassi, e não conseguiu mais do que o quinto posto final.
O momento decisivo desta corrida aconteceu na volta 73, quando Wilson, que pressionava Castroneves desde a última paragem nas boxes, conseguiu ultrapassar o brasileiro da Penske, e chegar à sua primeira vitória na Indy desde a sua fusão. Com este segundo lugar, o brasileiro da Penske forçou a decisão do título para a última etapa oficial, na próxima semana, na oval de Chicagoland.
Com a decisão do título adidada para o próximo Domingo na oval de Chicago, tudo indica que será uma corrida emocionante, pois da última vez que isso aconteceu, em 2007, o campeão Dario Franchitti bateu Scot Dixon por apenas poucos milésimos de segundo…

A capa do Autosport desta semana

A capa do Autosport desta semana tem a ver com o Mundial de Ralies, e a sorte dos diabos que o Sebastien Löeb teve na Nova Zelandia, ao aproveitar do azar da equipa Ford. Daí o título: “Sorte de Campeão“.

Nos quadrados mais pequenos, estão outros assuntos de relevo, como a vitória de Valentino Rossi em Misano, que o coloca muito perto do título mundial de Moto GP, o quarto lugar de Tiago Monteiro na primeira corrida do WTCC, no circuito alemão de Oberschleben, e um artigo sobre os erros e as estratégias que a Ferrari adoptou esta temporada. Mais uma edição a não perder!

PTCC – Estoril (Corridas)

Depois de algumas semanas de paragem, o PTCC está de volta, com a prova do Estoril, que inicialmente tinha sido marcado no inicio de Abril, mas que foi adiado para esta data. Trata-se da segunda das três passagens que o campeonato fará pelo circuito dos arredores de Lisboa, num pelotão com apenas onze carros presentes.

Na qualificação, esta ficará na história por ter sido a primeira vez nesta temporada que João Figueiredo levou o seu Peugeot 407 à “pole-position”, seguido por Cesar Campaniço, no seu BMW 320i, e por Francisco Carvalho, no seu Seat Leon Supercopa.
Na primeira corrida, o momento decisivo foi na partida, quando Patrick Cunha, o quarto na geral, surpreendeu tudo e todos e ascendeu à liderança da corrida. A partir desse momento, o piloto do SEAT Leon Supercopa limitou-se a controlar a concorrência, sagrando-se no final das 12 voltas o sexto vencedor diferente em nove corridas.
Até que enfim. Há muito que procurava esta vitória e com este resultado volto a sonhar com o título“, desabafou. “Fiz um excelente arranque e apesar de alguma confusão nas primeiras curvas, consegui ganhar desde logo uma boa vantagem, até porque ataquei muito forte“, concluiu o piloto vencedor.
A acompanhá-lo no pódio foram Francisco Carvalho, noutro Seat Leon Supercopa, e João Figueiredo, no Peugeot 407. Já o líder do campeonato, Cesar Campaniço, não conseguiu evitar um pião na primeira volta, fazendo com que chegasse no quarto posto: “Não fosse o pião feito na Curva VIP, na primeira volta, para evitar o Francisco Carvalho, é provável que o resultado fosse diferente, mas as corridas são mesmo assim“. explicou.
Na segunda corrida, César Campaniço começou ao ataque, e no inicio da segunda volta alcançou a liderança, posição do qual não mais saiu até à bandeira de xadrez, vencendo com uma diferença de quase 15 segundos sobre Patrick Cunha, o segundo classificado.
Ataquei muito forte no início“, afirmou no final o piloto do BMW 320si, dizendo que o segredo do sucesso nesta corrida residira “no teste efectuado na véspera, em que a equipa fez um excelente trabalho, tendo-me proporcionado um carro muito competitivo e, sobretudo, bastante consistente“. A fechar o pódio, ficou Francisco Carvalho, no seu Seat Leon Supercopa.

No campeonato, Cesar Campaniço lidera, com 62 pontos, mais dez do que João Figueiredo, e mais doze que José Monroy e Francisco Carvalho. A próxima jornada dupla do PTCC acontecerá nos dias 13 e 14 de Setembro, no Circuito Vasco Sameiro, em Braga.

WTCC – Oberschleben (Corridas)

O fim de semana do WTCC, no circuito alemão de Oberschleben, teve o seu auge esta tarde, com a realização da jornada dupla deste fim de semana. Nestas duas corridas, o melhor foram os BMW de Augusto Farfus e Felix Porteiro, que venceram cada um a sua corrida.

Na primeira corrida da tarde, Farfus, que largava do oitavo posto, conseguiu subir posições até à liderança, e quando lá chegou, afastou-se definitivamente do resto do pelotão, ganhando com mais de sete segundos de vantagem sobre o segundo classificado, o inglês Rob Huff, no seu Chevrolet, seguido pelo suiço Alan Menu, no outro Chevrolet. Tiago Monteiro foi o melhor Seat, ao ser quarto classificado nesta corrida.
Na segunda corrida, onde a grelha é invertida para os oito primeiros classificados, Felix Porteiro aproveitou o facto de largar na frente para liderar a corrida até à última curva, embora tenha visto o seu lugar ameaçado pelo Seat a gasolina do holandês Tom Coronel e pelo Chevrolet de Rob Huff. Enquanto isso, o pelotão se via envolvido numa carambola na primeira curva, agora mais apertada que o habitual. Nesses incidentes, o Seat de Tiago Monteiro e o Honda do inglês James Thompson ficaram pelo caminho.
No final, Porteiro, Coronel e Huff cruzaram a meta juntos, com apenas sete décimos de segundo a separá-los, enquanto que nos restantes lugares pontuáveis ficaram o espanhol Jordi Gené, o inglês Andy Prilaux, o brasileiro Augusto Farfus, o espanhol Sergio Hernandez (o melhor dos independentes) e o francês Yvan Muller.
No campeonato, Muller continua na frente, com 64 pontos mas Gabriele Tarquini está apenas um ponto mais atrás, com 63, logo, a luta pelo título está mesmo ao rubro! O inglês Andy Prilaux é terceiro, com 52 pontos, enquanto que Tiago Monteiro é 12º classificado, agora com 29 pontos. A próxima jornada dupla é no circuito italiano de Imola, a 21 de Setembro.

WRC – Rali da Nova Zelândia (Final)

Como diz o adágio popular… “Até ao lavar dos cestos, é vindima!”. Se no ano passado assistinmos à diferença mais curta de sempre entre pilotos num Rali da contar para o campeonato do Mundo (0,3 segundos entre Marcus Gronholm e Sebastien Löeb), este ano, as coisas não andaram muito longe disso, mas aqui, quem levou a melhor foi o piloto francês da Citroen, com a sua caracteristica “estrelinha da sorte”…

Prova disso foi o que aconteceu nas classificativas de hoje. Sebastien Löeb tinha que apanhar os Ford de Latvala e Hirvonen, e para isso, tinha de partir para o ataque. Mas na Especial 13, um erro à passagem pelo quilómetro três da especial, levou-o a fazer um pião e danificar um pouco a frente do C4 WRC. Nada de substancial, mas ficou a 17.6s do líder, que agora era Mirko Hirvonen. Loeb era quarto, atrás de Latvala e Dani Sordo.
Nas especiais seguintes, o francês partiu para o ataque, tentando recuperar o tempo perdido. Segundo atrás de segundo, classificativa atrás de classificativa, o francês passa Sordo e na classificativa 17, passa Hirvonen, ficando no comando do rali.
Nas bandas da Ford, esta classificativa é um desastre: Hirvonen perde quase um minuto devido a um furo, Latvala bate numa pedra e abandona, e Duval, no Stobart-Ford, também abandona a competição. Os Citroen faziam a dobradinha, com Sordo em segundo, e Hirvonnen relegado para terceiro.

Nem podia acreditar. Nunca, na minha carreira à frente da M-Sport, vivi uma situação assim. Estivemos muito perto de uma dobradinha, e de repente, o melhor que conseguimos é um terceiro lugar. É incrível!”, afirmava um incrédulo Malcom Wilson, o director desportivo da Ford.
Na categoria de Produção, o checo Martin Prokop foi o vencedor, com pouco mais de um minuto de avanço para o sueco Patrik Sandell. Bernardo Sousa acabou no sétimo lugar, a 6.52,2 segundos do líder, enquanto Armindo Araújo terminou a prova na 12ª posição, realizando alguns tempos interessantes. Resta saber em que lugar teria acabado, caso não tivesse os problemas de caixa de velocidades…

O louco fim de semana de Antonio Felix da Costa

Felix da Costa, mais conhecido pelo apelido “Formiga”, está no seu primeiro ano em monolugares, e até agora tem surpreendido os seus adversários pelo facto de ter aprendido com rapidez as manhas do carro, e de conseguir estar nas primeiras posições do campeonato NEC (North European Championship).
Este fim de semana, no circuito alemão de Oberschleben, não e excepção, ou melhor, é excepção, pois… ele vai participar em quatro corridas! Duas no NEC, e outras duas na Eurocup, onde se juntam mais de quatrenta pilotos, dos vários campeonatos espalhados por essa Europa fora.
Hoje à tarde, Felix da Costa alinhou na primeira corrida da Formula Eurocup, onde tinha conseguido a 12ª posição da grelha, e na corrida, ganha pelo espanhol Roberto Mehri, o “Formiga” acabou por se envolver num grupo que lutou cada centímetro pelo sexto posto, tendo visto a bandeirada de xadrez no décimo lugar final. Nesta corrida, para além do vencedor, o finlandês Valtteri Bottas e o italiano Daniel Ricciardo foram segundo e terceiro, respectivamente.
Para as provas de amanhã, António Félix da Costa partirá para a segunda corrida da Eurocup do nono posto, enquanto para as do NEC alinhará no oitavo lugar para a primeira corrida, e no segundo para a segunda. Valtteri Bottas, colega de Formiga na Motorpark Academy, assegurou as pole-positions para todas as provas de amanhã. Vai ser um louco Domingo para eles!

WTCC – Oberschleben (Qualificação)

O WTCC volta este fim de semana, depois de mais de um mês de ausência, com uma jornada dupla no circuito alemão de Oberschleben. Os treinos desta tarde trouxeram à Chevrolet o primeiro lugar da grelha de partida, graças ao inglês Rob Huff, mas também trouxaram alegria às cores portuguesas, pois Tiago Monteiro vai partir do terceiro lugar da grelha, atrás do seu companheiro Gabriele Tarquini.

Nestes treinos, Huff marcou o ritmo ao longo de praticamente toda a sessão, mas quando faltavam cerca de dez minutos para a bandeirada de xadrez foi pela primeira vez acossado, Quando o piloto português realizou uma volta que o deixou a apenas onze milésimos de segundo do piloto da Chevrolet.
Para piorar as coisas, o homem da Chevrolet acabaria mesmo por ser batido por Tarquini, que o superou por cinquenta e nove milésimos de segundo, quando faltavam apenas dois minutos para o fim da qualificação. Porém, Huff reagiu e na sua última volta lançada, acabaria por reconquistar a pole-position, ao deixar Tarquini a pouco menos de dois décimos de segundo. Tiago Monteiro acabaria por garantir o terceiro posto, dividindo amanhã a segunda linha com o holandês Tom Coronel, que com o seu Leon a gasolina, ficou no quarto lugar da tabela de tempos.
O brasileiro Augusto Farfus foi o melhor dos BMW, garantindo apenas a sexta posição da grelha. O segundo melhor foi o inglês Andy Prilaux, que foi apenas nono, o que deixa antever que vai ser um fim-de-semana muito complicado para a marca bávara…

WRC – Rali da Nova Zelandia (Dia 2)

O segundo dia do Rali da Nova Zelandia trouxe já algumas alterações na liderança, acentuando o à vontade que a Ford tem nas classificativas de terra, como é o caso deste rali, situado nos nossos antipodas…

A abrirem a estrada, Mirko Hirvonen e Sebastien Löeb passaram o dia todos em movimentações táticas, no sentido de evitarem terminar o dia na primeira posição, algo que conseguiram, pois Jari-Mari Latvala, o companheiro de Hirvonnen na Ford, atacou nas classificativas e terminou o rali na frente da classificação, mas apenas a 9,3 segundos de Hirvonen. Sebastien Löeb é terceiro, a 13,3 segundos do líder, o que significa que a luta pela vitória está ao rubro.

Outro que pode ter uma palavra a dizer amanhã será o espanhol Daniel Sordo, que é quarto, mas apenas a 15,7 segundos de Latvala, e pela primeira vez em muito tempo, é um sério candidato a vencer uma prova do Mundial de Ralis.
Mais atrás, Francois Duval é quinto, a um distante 1.40,9 minutos de Latvala, enquanto o estonio Urmo Aava é sexto, tendo conseguido bater o Subaru Impreza de Petter Solberg na luta por essa posição. Partem para o último dia com apenas três segundos a separá-los. O sueco Per-Gunnar Andersson é oitavo na frente do seu companheiro de equipa, o finlandês Toni Gardemeister, que voltou a ter problemas no Suzuki SX4 WRC.
Na categoria de Produção, o português Bernanrdo Sousa já chegou ao oitavo lugar da classificação na classe, enquanto que Armindo Araújo, de regresso à estrada graças à clausula do Super Rally, realizou algumas prestações de relevo, sem que isso mudasse muito a classificação provisória, mantendo-se na 18ª posição. O líder é agora o checo Martin Prokop, depois dos problemas de Mirco Baldacci, que caiu muito na classificação.
O Rali da Nova Zelândia termina amanhã.